Bus Ride Notes
Lançamentos

VEIO AÍ – Lançamentos de Setembro

Mais um mês, mais (muitos) lançamentos.

Lembrando que: 1) Estamos disponíveis pra te ouvir e trocar uma ideia! É só mandar mensagem nas redes sociais: Twitter e Instagram, ou escreva pro busridenoteszine@gmail.com.

2) Coloque seu material em TODAS as plataformas! Disponibilize informações básicas em TODAS as redes sociais! Deixamos de publicar muitos materiais aqui por não encontrá-las. Sério mesmo.

E 3) Queremos MUITO dar espaço pra mais artistas do interior, e também das regiões norte, nordeste e centro-oeste (exceto DF). Conhece alguém desses lugares? Manda pra cá!

De Carne e Flor – A Última Canção do Mundo Não É Essa

Dando o tom da porrada que será seu próximo material (ouvi dizer que é um disco cheio), a banda mais bonita da Grande São Paulo coloca seu coração pra fora da forma mais singela e brutal possível neste novo single. Aguardamos o que mais vem por aí!
Siga De Carne e Flor no Instagram.

Dennehy – Mr. Catharsis

Ainda mais eletrônica que “Little Less Rough”, este novo single dos brasilienses une guitarra e baixo pesados com sintetizadores, garantindo um climão de suspense. Correspondendo às camadas vocais de Luna, o vídeo foi totalmente feito pela própria banda, numa pegada meio filme de terror amador de algumas décadas atrás.
Siga Dennehy no Instagram.

desvio – seu curso é fixo

A banda de hardcore, neocrust e screamo de Vitória, ES lança seu álbum de estreia. Formada por Fernando Nandolfo (voz), Igor Allochio (bateria) e Vitor Toledo (guitarra) a banda adiciona efeitos, synths, samples e feedbacks, que trazem uma atmosfera experimental para as músicas. “seu curso é fixo” tem influências de Catharsis, His Hero is Gone, Jeromes Dream, Orchid e Usurp Synapse e participação de Jéssica Lima em “O poder da palavra, pt.2”. Arte de capa é por Bia Bia e lançamento da Lua Negra Rec.
Siga Desvio no Instagram.

Felipe Sanches – This Is the Pirate Radio

O compositor Felipe Sanches lança uma leva de singles nesse segundo semestre e “This Is The Pirate Radio” é o mais recente. Influenciado pelo punk, grunge e indie rock, a letra fala sobre “o sonho de ‘viver uma vida rock n’ roll‘, desde os anseios de um artista independente até o momento de juntar as guitarras em sua cidade natal no interior e partir rumo a capital cosmopolita que é São Paulo”. A faixa foi produzida, mixada e masterizada por Luke Mello (Homeninvisível, Querida Faça as Malas, Barragem), que também gravou bateria e percussão.
Siga Felipe Sanches no Instagram.

Gloios – Brinquedo

Novo EP da banda de um homem só, que se inspira em nomes como Mogwai, Sigur Rós, Deafheaven, Isis e também tem influências da MPB. Segundo ele, “‘Brinquedo’ é focado em sonhos de infância esquecidos, mas relembrados, inconscientemente, depois de muito tempo”.
Siga Gloios no Instagram.

Inês é Morta – Ilha

Com inspiração “soturna e solitária de contrastes: romances e desilusões, diálogos intensos e introspecção, esperança e desespero”, o quarteto paulistano expande sua percepção e execução de post-punk. O novo álbum, de 11 faixas, conta com a participação de Livia Cianciulli (Anvil FX) em “Ilha”, e Edgard Scandurra (Ira!) em “Vida em paranoia”.
Siga Inês é Morta no Instagram.

lōtico – Oran

Seguindo a linha estética de “Ressonância” (2022), explorando passagens tanto limpas quanto agressivas, o quinteto post-metal paulistano entrega tudo (e mais um pouco) em seu primeiro álbum. Quase 40 minutos de puro deleite.
Siga lōtico no Instagram.

My Magical Glowing Lens – Sobrevoar

Gabriela Terra se prepara para o lançamento do segundo álbum de seu projeto solo com o single “Sobrevoar”. Segundo Gabriela a música “é sobre tentar compreender os outros, sobre abrir mão da sua própria visão pra tentar entender a visão do outro. Mas traz também a virada, que é quando você percebe a armadilha que está caindo. Pois, por mais que a gente tente, nunca será possível chegar até a visão do outro sem perder a nossa própria”.
Siga My Magical Glowing Lens no Instagram.

natália carreira – ANTIPÁTICA

A artista brasiliense, que define a sua música como MTB: Música Triste Brasileira, lança seu novo EP, que mistura referências que a influenciam desde a adolescência, assim as composições soam mais pop rock do que nunca, trazendo uma nova estética ao seu trabalho. Segundo Natália, “‘ANTIPÁTICA’ é um resgate à conexão com a criança interior, com temáticas que buscam a compreensão e cura de problemáticas emocionais que me acompanham desde minhas primeiras criações”.
Siga natália carreira no Instagram.

Os Últimos Escolhidos do Futebol – O Catálogo de Clichês

Ah, a vida adulta quando temos vinte-e-tantos / quase-trinta / trinta-e-poucos anos. Várias particularidades; mas ainda mais vários clichês da rotina: casa, trabalho, família, banda, amores, desafetos. Tudo isso numa roupagem mais pop à sua sonoridade tingida de brasilidades, este segundo EP d’Os Últimos tá uma delícia, pronto pra conquistar o país todo (e quiçá o mundo).
Siga Os Últimos Escolhidos do Futebol no Instagram.

Ousel – Eu Nem Vi

A banda indie de Goiânia registra aqui uma transição em sua carreira, trazendo sua primeira música em português; enquanto renuncia às ambiências e distorções presentes em seus trabalhos anteriores, apostando numa sonoridade mais limpa e acessível. Este single também marca o início da colaboração do quinteto com o selo Before Sunrise Records.
Siga Ousel no Instagram.

Oxy – Pumpkins / Perks

O pós lançamento de “Push” (2022) não foi fácil: mudança de formação, HDs corrompidos, regravações. Mas, um ano depois, o promissor quinteto shoegazer brasiliense está de volta! Estas faixas fazem parte do EP “Besides”, que logo mais também vem ao mundo.
Siga Oxy no Instagram.

R4VEL – Planar

A banda paulistana de punk rock acaba de lançar seu novo single, “Planar”. Segundo R4VEL,
“a letra fala sobre a importância de acreditar em si mesmo e nunca desistir dos seus sonhos. É uma mensagem de esperança e força para todos que estão passando por momentos difíceis”. O single fará parte do álbum de estreia da banda, “Impermanente”, que será lançado em Novembro.
Siga R4VEL no Instagram.

Rolimã – Descuidado

Mal passaram 6 meses do lançamento de seu primeiro EP, “Retalho“, a banda de Águas de Lindoia, SP retorna com um novo single. Segundo eles, “a faixa se inspira nas experiências de uma pessoa distraída, desatenta e inquieta, que acaba desfocando facilmente nas situações do cotidiano e vida amorosa”. O clipe mostra um dia na vida de Renan, que acaba se distraindo e encontrando o amor.
Siga Rolimã no Instagram.

Sophia Chablau e Uma Enorme Perda de Tempo – Música do Esquecimento

A banda paulistana de indie rock lança seu segundo álbum, “Música do Esquecimento”. O disco é resultado de um longo processo de produção, iniciado na pandemia. Diferente do álbum de estreia, este lançamento tem composições dos quatro integrantes e a banda “insiste em escrever músicas não-óbvias, e encontrar maneiras não-óbvias de cantá-las e tocá-las”. Lançamento do selo RISCO.
Siga Sophia Chablau e Uma Enorme Perda de Tempo no Instagram.

Um Quarto (¼) – Ficologia

Após o primeiro EP, “Do Que Somos Capazes” (2019), a banda carioca lança o single “Ficologia”. Com influência de midwest emo, a música fala sobre o medo do dia seguinte ao melhor dia da sua vida. “Eu queria falar não apenas sobre o dia após um dos melhores da sua vida, como também do momento de ansiedade e melancolia que precede o fim desses dias incríveis. Justamente por isso eu queria criar uma música divertida, eu queria que fosse exatamente o que a canção tanto teme no final das contas: uma boa memória”, diz o compositor BB. O single fará parte do álbum de estreia da banda, “De Nossas Vidas”, que será lançado em Novembro.
Siga Um Quarto (¼) no Instagram.

Vida Ruim – Lado Oriental

Após cinco anos de seu último lançamento, a banda curitibana disponibiliza seu novo álbum, “Lado Oriental”, que vai “da surf music caótica ao hardcore desespero”. O lançamento foi feito em parceria com os selos Redlightz Records, Tu.Pank Records, Revelia Discos, KEROZENE Discos e Zoom Discos. A capa e o encarte do vinil contam com artes de Victor Stephan, Mario de Alencar e Chico Félix.
Siga Vida Ruim no Instagram.


Lançamentos

VEIO AÍ – Lançamentos de Agosto

Mais um mês, mais (muitos) lançamentos.

Lembrando que: 1) Estamos disponíveis pra te ouvir e trocar uma ideia! É só mandar mensagem nas redes sociais: Twitter e Instagram, ou escreva pro busridenoteszine@gmail.com.

2) Coloque seu material em TODAS as plataformas! Disponibilize informações básicas em TODAS as redes sociais! Deixamos de publicar muitos materiais aqui por não encontrá-las. Sério mesmo.

E 3) Queremos MUITO dar espaço pra mais artistas do interior, e também das regiões norte, nordeste e centro-oeste (exceto DF). Conhece alguém desses lugares? Manda pra cá!

4n4 Not Found – Pandemic

Após uma série de singles, a artista Ana Ishihara acaba de lançar seu EP de estreia, “Pandemic”, e junto com ele, o clipe da faixa “Brown Leaf”. Você pode conhecer mais sobre 4n4 Not Found na estrevista que fizemos. O EP foi produzido por Luke Mello e o lançamento é da Big Cry Records.
Siga 4n4 Not Found no Instagram.

Cama Rosa – Economia Invis​í​vel

“Economia Invis​í​vel” é o novo single do duo de noise e experimental de Campinas, SP, que conta com um clipe dirigido por Juliana R. Junto de “Economia Invis​í​vel” a banda lançou a faixa instrumental “Bingo”. Conheça mais sobre a banda, que trabalha bastante com improviso, em nossa entrevista com eles sobre o split “cama rosa gruta”.
Siga Cama Rosa no Instagram.

Crazy Bastards – Moving On

Após dois anos do lançamento do single “This Sunday”, a banda de pop punk curitibana retorna em sua formação original. “Moving On” chega pra matar as saudades.
Siga Crazy Bastards no Instagram.

Existentialisters – Where’s The Grunge?

Após seu primeiro EP, “REB’ELLE” (2022), a banda de Fortaleza, CE lança seu novo single, “Where’s The Grunge?”, que, como o próprio nome diz, é carregado de grunge, punk e riot girl, característicos dos anos 90.
Siga Existentialisters no Instagram.

Fones – Agosto / Rua

Após 6 anos de seu último single, “Tiros em Columbine”, a banda de soft punk de Sorocaba, SP retorna com os singles “Agosto” e “Rua”. Com influências do rock alternativo noventista, os singles “falam sobre sentimentos de devastação, tal qual um cenário pós-guerra. Eles expressam coisas que vivemos nos últimos anos, como os sentimentos de desamparo e autodestruição. ‘Agosto’ é um recorte de uma fase obscura de nossas vidas”.
Siga Fones no Instagram.

FOSCO – DEMO 2023

Fundada em 2022, a banda de hardcore e metal de São Paulo, SP lança seu material de estreia. A demo é também o primeiro material inteiramente gravado, mixado e masterizado no estúdio Páprica.
Siga FOSCO no Instagram.

Imundo – Imundo

Disco de estreia da banda de hardcore e thrash de Lajeado, RS. Segundo a banda, “as músicas foram escritas e desenvolvidas entre 2020 e 2022, em meio a caos político e sanitário, e refletem os tempos obscuros vividos”.
Siga Imundo no Instagram.

Junx – Niilismo

Formado em 2022, o power trio punk de Natal, RN lança seu single de estreia. “Niilismo” traz duas canções, a de mesmo nome e “Corroído”. A arte de capa é de Lita Victorino.
Siga Junx no Instagram.

Jupta – Ainda Somos Estranhos

Novo single da banda de indie rock de Jundiaí, SP. Segundo a banda, “‘Ainda Somos Estranhos’ mergulha nas complexidades das relações humanas, capturando a essência da luta para encontrar conexão e compreensão em um mundo cada vez mais fragmentado”.
Siga Jupta no Instagram.

Mitocôndria – Lord Bumbum Mole / Pedido

A banda paulistana lançou em agosto dois novos singles. “Lord Bumbum Mole” (inspirado em personagem de As Aventuras de Billy e Mandy) e “Pedido” têm como influências Weezer e Mom Jeans e suas letras falam sobre a transição para a vida adulta. O clipe de “Lord Bumbum Mole” (produzido pela própria banda com ajuda de Alisson Abreu) mostra o personagem passando por diversas situações que representam a dualidade de estar entre a maioridade e a adolescência. Os singles foram produzidos por Luke Mello e o lançamento é da Big Cry Records.
Siga Mitocôndria no Instagram.

Pexera HC – Pexera

Formada em 2022 por integrantes de antigas e clássicas bandas de hardcore recifenses como Every Day, Armas da Verdade e Como Desistir?, PEXERA HC acaba de lançar seu primeiro álbum. Com uma mistura de punk, hardcore, crossover, grindcore e metal, a banda tem letras que refletem sobre o cotidiano da periferia. Com “Pexera” o trio tenta mostrar as dificuldades e o cotidiano dos subúrbios, exportando, às vezes com acidez, seu antifascismo e sempre se posicionando contra toda forma de preconceito. Lançamento do selo HC REC.
Siga Pexera HC no Instagram.

Rise Rise, Forks – Just a Vapor

“Just a Vapor” é o segundo single da banda curitibana. Formada no segundo semestre de 2022, Rise Rise, Forks tem influências de post-rock, post-hardcore, shoegaze e ambient, e entrga uma estética inspirada no no pós-apocalipse, solitude e cosmicismo. “Just a Vapor” e “Behold” farão parte do primeiro EP da banda, “Recalling What’s Left”, com previsão de lançamento para dezembro.
Siga Rise Rise, Forks no Instagram.

Sky Down – Lethargy

Cinco anos após seu último single, “Wound”, a banda de post-punk e noise de São Paulo, SP lança seu segundo álbum, “Lethargy”. Sky Down também lançou um clipe para a música “4:53”.
Siga Sky Down no Instagram.

Somaa – Antena

“Antena” é o segundo álbum da banda de rock alternativo de Joinville, SC. Segundo Somaa, o disco fala sobre “a nossa cidade, sobre envelhecer e permanecer tocado pela música que nos formou enquanto jovens, saúde mental, sobre o consumismo irresponsável e exagerado, sobre ir ao encontro a quem se é, e sobre tantas outras coisas”.
Siga Somaa no Instagram.

Undostais – Ai de Mim

A banda afropunk de post-hardcore de São Paulo capital lançou uma série de singles, sendo “Ai de Mim” o mais recente e “o primeiro video de seis partes, que falam sobre um ciclo, que boa parte de nós, somos obrigados a passar no decorrer da vida. Que esse conteúdo seja como um abraço de um amigo”.
Siga Undostais no Instagram.


Lançamentos

VEIO AÍ – Lançamentos de Julho

Mais um mês, mais (muitos) lançamentos.

Lembrando que: 1) Estamos disponíveis pra te ouvir e trocar uma ideia! É só mandar mensagem nas redes sociais: Twitter e Instagram, ou escreva pro busridenoteszine@gmail.com.

2) Coloque seu material em TODAS as plataformas! Disponibilize informações básicas em TODAS as redes sociais! Deixamos de publicar muitos materiais aqui por não encontrá-las. Sério mesmo.

E 3) Queremos MUITO dar espaço pra mais artistas do interior, e também das regiões norte, nordeste e centro-oeste (exceto DF). Conhece alguém desses lugares? Manda pra cá!

Agravo – Demo

Material de estreia do mais novo trio feminino paulistano, que traz uma sonoridade crossover entre o punk, o hardcore e o metal; embalando temáticas reais em tom de protesto.
Siga Agravo no Instagram.

Angry Daze – O Sonho

Após o EP homônimo lançado em 2022 e o single “Correndo Com Tesouras” (2023), a banda de pop punk e emocore de São Leopoldo, RS lança seu novo single. “O Sonho” está disponível nas redes de stream.
Siga Angry Daze no Instagram.

BARRAGEM – Falling Love

Após seu primeiro single, “Barragem”, a banda paulistana lança seu EP de estréia. Com influências de Paramore, My Chemical Romance, Molchat Doma e Silversun Pickups “Falling Love”, como o título sugere, tem três músicas que falam sobre desilusão amorosa. O EP foi produzido por Luke Mello e a arte de capa é de Dimitri Pimenidis.
Siga BARRAGEM no Instagram.

CÁUSTICO – Rebranding

Novo single do duo de Jundiaí, SP. O termo rebranding é parte da rotina dos trabalhadores digitais, é reestruturar, repaginar e reposicionar uma marca para atingir um novo objetivo de mercado. Segundo a banda, “o single vem para falar sobre uma nova fase da contracultura. Um momento em que novas gerações superam os atrasos das antigas, revolucionam o punk, hardcore, metal e enfrentam a resistência dos conservadores do underground.
Siga CÁUSTICO no Instagram.

Ceano – Pra Te Receber

Ainda nem me recuperei do abalo que o disco “Bonsenso” (2022) me causou e já recebo mais essa. Neste novo single, a banda de Campinas, SP se apresenta ainda mais solar, com uma sonoridade bem brasileira. E, pelo visto, logo mais trarão outras novidades!
Siga Ceano no Instagram.

CRUA – Cora​ç​ã​o Rebelde

Disco de estréia da banda de Peruíbe, SP. CRUA tem a proposta de fazer “música simples, três acordes, punk, gritado, distorcido, ruidoso e político” e “Coração Rebelde” aborda questões como a padronização e definições dos corpos, a luta dos povos originários, a luta por direitos animais e críticas à forma opressora que vivemos. O disco foi lançado em vinil e cassete pela No gods No masters e pode ser ouvido no Bandcamp. Arte por Flavio Grao.
Siga CRUA no Instagram.

Ema Stoned – Devaneio

Como uma passagem pra viajar sem sair do lugar, o terceiro álbum do trio instrumental te leva pra dentro de si, navegando por entre lembranças e fantasias. Leia aqui mais detalhes sobre os processos por trás de “Devaneio”.
Siga Ema Stoned no Instagram.

infinita madrugada – Daqui pra Mais Tarde

Novo single do quarteto indie de Fortaleza, CE, que inaugura a nova fase da banda. Trazendo timbres mais experimentais, é a primeira de uma nova leva de faixas – que, logo mais, você também vê por aqui.
Siga infinita madrugada no Instagram.

Inner – Voo Livre

Ainda em 2021, a banda paulistana fez sua estreia com os primeiros singles, “Inércia” e “Cicatrizes”, e sumiu. Não sei afirmar se voltaram de vez e devemos esperar mais, porém “Voo Livre” traz sua pegada única e dá um gostinho a mais pra gente curtir.
Siga Inner no Instagram.

Join the Dance – Sinceramente, Eu.

O tão aguardado EP da banda de hardcore melódico de São Gonçalo, RJ TÁ ON! Trazem pela primeira vez letras também em português, com temáticas pessoais e politizadas.
Siga Join the Dance no Instagram.

jonabug – Big Ego, No Self Esteem

A banda de Marília, SP lança seu EP de estreia. Com influências de gorduratrans, Bôa e The Cardigans, “Big Ego, No Self Esteem” tem letras que falam sobre experiências pessoais, como o distanciamento, relacionamentos abusivos e o testemunho de problemas com drogas. O EP foi produzido por Marco Dower e a arte de capa é de Samu Clima.
Siga jonabug no Instagram.

LizeLize – Contramão

Primeiro single do ano do quarteto de Ponta Grossa, PR. Um indie bem gostosinho, que vejo conquistando palcos e rádios com facilidade num futuro próximo. Ponto extra pra essa capa bonitassa, arte de Riko.
Siga LizeLize no Instagram.

LuvBugs – Solstício de Inverno

Durante e após a gestação e nascimento de sua primeira filha, o duo/casal carioca também produziu seu quarto álbum. Gravado em home studio, são 10 faixas com seu indie distorcido e melódico pra ouvir caminhando ou andando de bike no fim da tarde.
Siga LuvBugs no Instagram.

Os Últimos Escolhidos do Futebol – Chiara

Os indie rockers de Bauru, SP lançaram seu novo single, que tem uma pegada mais MPB, assim como seus singles mais recentes. “Chiara” antecipa o próximo EP da banda, ainda sem data de lançamento.
Siga Os Últimos Escolhidos do Futebol no Instagram.

Pullovers – Não Se Mate

Uma de minhas bandas preferidas por 20+ anos. Fiquei até confuso com a notificação deste novo single, achando que poderia ser outro artista com o mesmo nome, mas pra minha surpresa e felicidade, eles estão de volta!
Siga Pullovers no Instagram.

Refuse – Antes de Você

Após o EP “Direções” (2019), em julho a banda de hardcore de Araraquara, SP lançou, junto de um clipe, seu novo single, “Antes de Você”, que antecede seu álbum de estreia, ainda sem data de lançamento.
Siga Refuse no Instagram.

Texuga – Escárnio e Maldizer

Após o single “Não Admito” (2022), a banda do Rio de Janeiro lança agora seu EP de estreia. O quarteto tem influências de nomes como The Distillers, Hole e Bikini Kill, além de “tudo que é capaz de gerar raiva”. Você pode ler nossa resenha sobre “Escárnio e Maldizer” aqui.
Siga Texuga no Instagram.

Triunfe – Instantes no Tempo

A banda de hardcore melódico de São Gonçalo, RJ lançou seu segundo álbum, “Instantes No Tempo”. Segundo a banda, “com suas letras Triunfe busca incentivar as pessoas, seja com falas de superação ou que chamam atenção para questões sociais”.
Siga Triunfe no Instagram.


Resenhas

Texuga – Escárnio e Maldizer

Há algum tempo eu tenho dificuldade em escrever uma resenha. Por muitos motivos, mas principalmente, como disse Jeremy Bolm, “Eu fiz uma promessa a mim mesmo: se eu for levantar minha voz, serei o mais direto o possível, não importa o que eu possa destruir”. Aparentemente destruí parte da minha criatividade, mas vamo nessa.

Texuga também vai direto ao ponto em “Escárnio e Maldizer”, seu EP de estreia.

“Escolhemos esse título há muito tempo porque só sabemos fazer músicas com muito sarcasmo. Criticamos pessoas conservadoras, reacionárias, com quem não dá para ter um diálogo sério, construtivo. Elas nem querem que a gente exista, como vamos conversar com elas com seriedade? Então o deboche se torna uma arma muito importante”, diz Thaís em entrevista para o Disconversa.

Formada em 2021, a banda carioca tem influências de bandas como The Distillers, Hole e Bikini Kill, além de “tudo que é capaz de gerar raiva”.

O EP tem quatro faixas e começa com “Autoestima”, que critica um privilégio bem específico, como diz a própria letra: privilégio de ser um imbecil, um boçal e mesmo assim se ver como genial.

“Gratidão por fazer o básico, obrigada por fazer o mínimo. Parabéns por registrar o seu filho. Alguém dá uma medalha pra esse menino”.

“Vaquejada” é, como se diz aqui no interior, uma história cheia de presepadas (sinônimo de caos, segundo o Dicionário inFormal): atolada na lama, perdida, sem grana, GPS quebrado e mais.

“Raiva” fala sobre como esse sentimento move as pessoas, particularmente, como ele instiga uma reação.

“Se você me mata, não ouse pedir calma”.

O EP termina com “Não Tenho Medo”, que traz no som uma clara homenagem às influências da banda. A letra fala sobre um tipo de pessoa e a minha cabeça imediatamente faz ligação com aquelas-que-não-devem-ser-nomeadas, que no Brasil, em sua maioria, são mulheres brancas na faixa dos 20 e poucos anos que usam a cartilha da extrema direita pra minar debates sociais. As semelhanças com a Barbie do Gelo lá em 2012 não são mera coincidência.

Texuga é Marcela Valverde na guitarra e vocais, Thaís Catão na guitarra e vocais, Ana Clara Martins no baixo e vocais e Lucas Valuche na bateria.

O EP foi gravado no Estúdio da Salvação (Niterói, RJ), produzido por Arthur Doglio e Théo Ladany, mixado e masterizado por Victor Damazio e a arte de capa é de Mabel Martins.

“Escárnio e Maldizer” está disponível nas redes de stream.


Discografia Caipirópolis

Discografia Caipirópolis Volume 5

A Discografia Caipirópolis nasceu pra mostrar que tem muita coisa boa sendo feita fora da capital.

Somos do interior de São Paulo e um dia decidimos fazer uma lista de bandas daqui, como várias delas não têm músicas nas redes de stream pra fazermos uma playlist, decidimos fazer uma coletânea.
Colocamos bandas do litoral também porque ninguém sabe se litoral é interior ou não, é uma questão de opinião.

Bom, lista feita, fizemos as edições necessárias e entre elas tiramos bandas com letras machistas, violentas, reacionárias ou coisas do tipo. Gostaríamos de pedir que vocês nos avisem caso deixarmos algo parecido passar.

No primeiro volume decidimos colocar apenas bandas com mulheres na formação, então tem de tudo, punk, crust, indie, synthpop, hard rock, folk, instrumental, etc.

A partir daí os volumes são divididos por gênero musical, o volume dois contou com bandas de punk rock e hardcore melódico, o volume três com indie rock, o volume quatro com hardcore, crossover, etc e este volume cinco com todos os core? Fastcore, grindcore, noisecore e um tanto de crust, thrash e death (core ou metal, fica à sua escolha).

Abaixo você lê um pouco sobre cada banda que faz parte do volume cinco:

Aberração (Bauru)

Formada na zona oeste de Bauru em 2015 por Drei junto do seu irmão OVNI, a banda tem letras com críticas sociais, protestos contra o sistema e relatos do dia a dia. A banda começou tocando noisecore rápido e minimalista e hoje faz um grindcore pesado e brutal com influências do rap nacional. Aberração conta com mais de 20 materiais lançados, entre EPs e splits, e em 2022 lançaram seu primeiro álbum cheio, “Ghetto”, iniciando uma nova fase. Hoje a banda é formada por Drei (vocal, guitarra), Samuel W. (baixo, vocal) e OVNI (bateria, vocal).
“Alicerce” faz parte do disco “Ghetto” (2022).


Boca de Lobo (Jundiaí)

Formado em 2013, o quinteto apresenta uma sonoridade que explora o que há de mais original no hardcore e no thrash metal. Em 2015 lançaram sua primeira demo e em 2019 o EP “Relatos do Lado Esquecido”. Em 2021 a banda assinou com a Clichê Records, selo independente que distribuiu seu primeiro álbum, “Volume I”, lançado em 13 de agosto do mesmo ano.
“Zumbis das Madrugadas” faz parte do disco “Volume I” (2021).


Caminho de Rato (Bragança Paulista)

Caminho de Rato é uma banda de crust e hardcore formada em 2017 em Bragança Paulista, SP com letras politizadas e cotidianas formada por Fabiano (vocal), Rodrigo (bateria), Fabiana (baixo, backing vocal) e Diego (guitarra).
“Escravo Robotizado” faz parte do disco “Caminho Sem Volta” (2021).

.

.

.


Corporate Death (Jundiaí)

Formada em 2001 e hoje composta por Flávio Ribeiro (voz, baixo), Damien Mendonça (guitarra) e Rafael Cau (bateria) a banda já lançou uma demo “Ways to the Madness” (2005), relançada em 2021 (em comemoração aos seus 15 anos) com a faixa bônus “Over the Trenches” e quatro álbuns “Terminate Existence” (2008), “Angels & Worms” (2013), “Reborn” (2017) e “IV” (2022).
“The Burden” faz parte do disco “IV” (2022).


Cruento (Jacareí)

Formada em 2015, Cruento traz influências de punk, hardcore e crust, com letras que abordam o drama humano vivido no campo social, existencial e humanitário, como sintomas graves do eminente mergulho ao abismo, para o qual o mundo está sendo empurrado pelos inimigos da evolução.
“Fantoche” faz parte do EP “Mar de Ossos” (2020).


Desmorto (Atibaia)

Formada em 2018, a banda de fastcore tem influências do hardcore paulista do começo dos anos 2000 (Presto?, Discarga, Sick Terror). Seu primeiro lançamento foi o split DESCABRA (2022), lançado junto com Cäbrä (Itatiba, SP), composto de material inédito: doze faixas da Desmorto e quatro faixas de Cäbrä. Atualmente a banda trabalha no lançamento de mais um split, com outra banda do interior de SP, com lançamento previsto pra 2023.
“Terror da Madrugada” faz parte do split DESCABRA (2022).


DISCHORD (São Roque/São Jose do Rio Preto)

Formada em São Roque em 1996, a banda de hardcore crust tem como proposta fazer um som cru com letras políticas e diretas. Com vários materiais lançados em diversos formatos no Brasil e em outros países, em 2019 a banda lançou o CD “Guerrilha Cultural”, que reúne toda a sua discografia até então. Em 2022 lançaram um split cassete com a banda canadense Atrophic Decay. Lançado pela Cultus Copy Recs no Canadá e distribuído no Brasil pela Fat Zombie Records. Após inúmeras formações, atualmente a banda conta com Anderson (vocal), Shita (guitarra), Yuri Tomate (baixo) e Serginho (bateria), que residem em São José do Rio Preto.
“Dos Anjos” faz parte do split com Atrophic Decay (2022).


Fim da Aurora (Jundiaí)

Formada em dezembro de 2012, Fim da Aurora tem influências que vão do hardcore ao deathmetal. Seu principal objetivo é fazer um som pesado e caótico com letras que retratam problemas sociais, políticos e pessoais, proporcionando shows com muita energia. Com dois EPs, “Espíritos (2015) e “Atormentação” (2017), e um single, “Intolerância” (2022), lançados, a banda já fez mais de 100 shows desde o seu início. Atualmente estão em processo de gravação do seu primeiro álbum, com lançamento previsto para 2023.
“Intolerância” foi lançada como single em agosto de 2021.


Industrial Holocaust (Leme)

Formada em 1991 após o fim da Morbideath (89-91) “com a finalidade de fazer noisecore de protesto contra este sistema imundo que vivemos”, hoje a banda é composta por Cassiano (baixo, vocal), Sérgio (guitarra, vocal) e Riva (bateria, vocal). Lançaram seu primeiro trabalho em 1992, um split com Noise, e desde então participaram de 12 compilações e splits, entre elas “Compilação Beneficente Para Mumia Projeto A.C.R. – A Opressão Capitalista Não Reconhece Fronteiras A Solidariedade Internacionalista Tão Pouco!!!” (2000), além dos EPs “Nuclear Warning” (1997) e “The Holocaust Continues…” (2013).
“Final Holocaust (Noise terror)” faz parte do split com Lotus Fucker (2017).


Leeo (Santos)

Leeo é o projeto solo de Leo Hanna, produtor musical e integrante do Surra. Em 2022 ele lançou o EP “Sem Futuro”, que contém composições suas que não couberam no Surra e outras feitas já para esse EP. “Sem Futuro” foi inteiramente gravado, mixado e masterizado pelo próprio Leo.
“Eles me Empurram” faz parte do EP “Sem Futuro” (2022).

.

.


Manger Cadavre? (São Jose dos Campos)

Banda de hardcore crust com influências de metal e letras que partem do recorte de classe em atividade desde 2011, hoje com Nata (vocal), Marcelo Kruszynski (bateria), Bruno Henrique (baixo) e Paulo Alexandre (guitarra). Manger Cadavre? já excursionou por todas as regiões do Brasil e com três EPs, dois splits e dois álbums, “AntiAutoAjuda” (2019) e “Decomposição” (2021), lançados a banda registra o amadurecimento dos integrantes com o peso do metal, sem abrir mão do espírito faça você mesmo.
“A Raiva Muda o Mundo” faz parte do disco “Decomposi​ç​ã​o” (2021).


Massacre do Paralelo 11 (Campinas)

Formada em 2018 após o fim da banda Baby Boom, Massacre do Paralelo 11 tem o intuito de fazer música rápida e pesada com letras em português. Após idas e vindas de integrantes e consequentemente de influências, hoje a banda toca metal alternativo, com influências do punk, hardcore e thrash metal. Hoje Massacre do Paralelo 11 é Elso Filho (bateria), André Almeida (guitarra), Eduardo Gabriel (vocal) e Gabrick (baixo). Em 2023 lançaram o EP “Conforme-se”.
.


Nihil Gun (Leme)

Banda libertária de sonoridade indefinida com letras que abordam o cotidiano sociocultural e político de uma forma geral. Teve inicio de suas atividades em abril de 2014. Nihil Gun Lançou materiais em diversos formatos além de participação em algumas coletâneas nacionais e gringas.
“Pós Modernidade” faz parte do EP “Luta de Classes” (2018).

.


Surra (Santos)

Formada em 2012 por Leeo Mesquita (vocal, guitarra), Guilherme Elias (baixo, vocal) e Victor Miranda (bateria), o power trio é uma das bandas mais ativas do underground brasileiro. Com a proposta de tocar de forma rápida e agressiva, a banda adiciona thrash metal, hardcore, death metal, grindcore e outros nichos da música extrema a letras que procuram refletir criticamente sobre a nossa realidade. A banda já lançou quatro álbuns, um split, seis EPs e um single.
“Motor da História” faz parte do disco “Ninho de Rato” (2021).


Toxic Carnage (São Roque)

Fundada em 2008 e hoje composta por Robson Dionisio (vocal, baixo), Bruno Campos (bateria) e Roberlei Cristiano (guitarra) a banda lançou seu primeiro EP, “Storm of Hate” em 2010. Além dos splits com Curse, “Cursed Carnage” (2013), com a mexicana Merciless Disaster, “Beer Drinkers and Hellraisers” (2015), e com a grega Rapture, “Preachers of the Fallen Fate” (2017), a banda lançou uma coletânea “Total Carnage” (2016), um album completo “Doomed From The Beginning” (2019) e dois EPs, “Nuclear Addiction” (2020) e “The New Normal” (2022). Atualmente Toxic Carnage está em processo de gravação de seu próximo EP, “Primitive”, e já compondo as músicas do seu segundo álbum, com previsão de lançamento em 2023.
“The Beast Inside Me” faz parte do disco “Doomed From The Beginning” (2019).


Fizemos playlists com as músicas disponíveis nos streams, mas como faltam várias bandas eu recomendo muito que você ouça no Bandcamp.